terça-feira, 18 de março de 2014

Manoel de Barros

Vento

Se a gente jogar uma pedra no vento
Ele nem olha para trás.
Se a gente atacar o vento com enxada
Ele nem sai sangue da bunda.
Ele não dói nada.
Vento não tem tripa.
Se a gente enfiar uma faca no vento
Ele nem faz ui.
A gente estudou no Colégio que vento
é o ar em movimento.
E que o ar em movimento é vento.
Eu quis uma vez implantar um costela
no vento.
A costela não parava nem.
Hoje eu tasquei uma pedra no organismo
do vento.
Depois me ensinaram que vento não tem
organismo.
Fiquei estudado.


O Muro

O menino contou que o muro da casa dele era da altura de duas andorinhas
(Havia um pomar do outro lado do muro.)
Mas o que intrigava mais a nossa atenção principal
Era a altura do muro
Que seria de duas andorinhas.
Depois o garoto explicou:
Se o muro tivesse dois metros de altura
qualquer ladrão pulava
Mas a altura de duas andorinhas nenhum ladrão pulava.
Isso era.


Creme

Sucuri pegou um bezerro
E deu um forte abraço nele.

Foi se enrolando se enrolando no corpo do bezerro
Foi apertando o abraço apertando
Até quebrar todo osso do bezerro
O bezerro virou parece um creme.
Eu estava perto.
Eu assisti.
O silêncio do bezerro nem mexia.
Depois a cobra engoliu o creme.

Um comentário:

.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...